CLIMA BRASILEIRO E DISPUTA ACIRRADA ENTRE PEREZ E ALONSO LEVANTAM INTERLAGOS

Dia vira noite em São Paulo, Mercedes tem o seu pior desempenho do ano, Leclerc tem problemas na volta de apresentação, e Perez e Alonso protagonizam um show a parte.

11/6/2023

Quando se fala em GP do Brasil, ou melhor, Grande Prêmio de São Paulo, o clima animado e único toma conta do ambiente logo que se chega em solo brasileiro. Tem piloto que é revistado logo ao chegar no aeroporto e de cara vira meme, o outro que quer aprender português, mas quem sabe através de uma namorada brasileira e tem até o viciado em comer feijão, que se conhecesse a banda mamonas assassinas na época, entenderia bem o hit.

O clima leve, descontraído e único que só o brasileiro tem, toma conta dos pilotos, chefes, mecânicos, jornalistas e por alguns momentos todos esquecem a competitividade dentro da pista e abrem espaço para um clima mais amigável e leve. Coisa que não se vê muito em outros circuitos mundo afora. Provavelmente deve ser o clima do Brasil que faz tão bem pra essa galera, a ponto de se sentirem em casa e até arriscarem o idioma, como é o caso de Hamilton "já brasileiro" e Gasly, que gravaram mensagens muito legais demonstrando uma incrível amorosidade pelo país.

E pra compor ainda mais essa felicidade Interlagos se mantém no calendário até 2030.

Sexta, classificação da pole, o dia vira noite em São Paulo e uma nuvem escura toma conta de Interlagos e por questões de segurança a equipe de prova achou prudente a classificatória ser interrompida. Para a decepção de muitos pilotos como Lewis Hamilton que estava ansioso por um melhor resultado e para a surpresa de Max Verstappen, que não esperava, mas saiu primeiro, fez o melhor tempo e levou a pole. Seguido por charles Leclerc e para o espanto de todos, Lance Stroll compõe o trio.

Já no sábado, dia de sprint, durante o o shootout pela manhã, Ocon bate feio ao ultrapassar Alonso, gerando uma bandeira vermelha e tendo assim a prova interrompida. Por sorte sem danos ao piloto da Alpine, mas Alonso teve que prestar esclarecimentos devido ao ocorrido. Lando Norris tem melhor desempenho larga na frente na corrida sprint.

Sprint tem uma belíssima largada de Max Verstappen que toma a posição de Lando Norris e sai em disparada pra ser o campeão. Posição rotineira e bem confortável para Max durante todo esse ano.

Foto: Site F1

Foto: Site F1

Domingo, dia de corrida e espetáculo único a nível show de rock em interlagos e todos querem muita adrenalina. Mas em meio a toda essa expectativa e nervos a flor da pele, sorte teve mesmo, quem conseguiu terminar a corrida.

Logo de cara, na volta de apresentação o carro de Leclerc apresenta uma falha mecânica e ele vai incontrolavelmente em direção ao muro. A angústia de Leclerc era evidente, o piloto monegasco segurando a cabeça entre as mãos na cabine. “Por que diabos eu sou tão azarado, por que diabos eu sou tão azarado?” ele repetiu no rádio para seu engenheiro de corrida, antes de sair da cabine e se sentar na parede, com a cabeça baixa. Porque esse foi mais um golpe duro pra Ferrari e para o "monegato" no decorrer das inúmeros falhas neste ano.

“Entrei na Curva 6, estava tudo bem e então, como vocês podem ver, basicamente perdi o volante porque não há mais direção hidráulica, o volante parece extremamente rígido, então sigo em frente”, disse ele depois. Aí o motor parou por questão de segurança, o que fez as rodas traseiras travarem, o que me fez girar. Aí toquei na parede, comecei a ligar o carro de novo, fiz 20 metros e aconteceu exatamente a mesma coisa. Então é isso." Disse Leclerc.

Após esse episódio caótico da Ferrari os pilotos se realinham as luzes se apagam e começa o GP de São Paulo, ou não! Porque houve mais um caos. Agora envolvendo Nico Hulkenberg, que foi espremido por Kevin Magnussen, com Alex Albon sendo arremessado contra a Haas de Magnussen, ocasionando assim uma bandeira vermelha.

Interlagos foi desgastante para alguns pilotos que não conseguiram terminar a corrida, como foi o caso de George Russell, a dupla Alfa Romeo de Valtteri Bottas e Zhou Guanyu, a Haas de Kevin Magnussen, a Ferrari de Charles Leclerc e a Williams de Alex Albon.

Já para a Mercedes em palavras do próprio Totto Wolff, a corrida foi de "desempenho indesculpável." Onde ele classifica o W14 como 'miserável', pois o carro 'não merece uma vitória.' Hamilton até fez uma boa largada mas o carro foi perdendo potência e ele posições, e de mãos atadas, teve que se contentar com diveras ultrapassagens pra conseguir terminar em P8. O seu companheiro de equipe George Russell, teve que abandonar a corrida, pois o carro estava esquentando muito.

Foto: Site Julianne Cerasoli

Mas o que fez mesmo Interlagos tremer a ponto do coração errar as batidas foi a disputa entre Alonso e Perez nos segundos finais da corrida. Os pilotos tiveram uma diferença de 0,053s até a bandeirada. Sendo um final perfeito para uma batalha épica que já durava há muitas voltas entre a Red Bull e o Aston Martin, com os dois pilotos dando tudo de si para chegar ao pódio final.

Que momento! No Twitter da jornalista Julianne Cerasoli ela publicou um trecho de uma fala do Alonso. Onde ele contou que disse para Perez não causar mais tanto estresse nele como fez em Interlagos "porque estou velho".

Sendo assim, Perez aumenta sua vantagem na luta com Hamilton pelo segundo lugar.

Max Verstappen que é indomável, conquistou a 17ª vitória da temporada de 2023 no Grande Prêmio de São Paulo, onde contou com uma leve pressão de Lando Norris, mas não tem jeito, definitivamente 2023 é de Max Verstappen.