DOBRADINHA DA RED BULL E VERSTAPPEN INVICTO. ABREM A TEMPORADA 2024 DE FÓRMULA 1

Começo de temporada 2024 e acreditava-se que Max Verstappen podia ser pressionado pelos demais pilotos, mas não foi bem isso que aconteceu.

3/3/2024

O piloto da Red Bull saiu em disparada na frente e se manteve na posição de invicto do começo ao fim da corrida, sem nenhum problema e com uma vantagem incontestável, reafirmando o domínio da Red Bull nesse início de campeonato. Onde nem o próprio Max questionado sobre o feito, soube explicar tamanha vantagem. Logo após a corrida, com sorriso no rosto Max declarou: “Foi muito agradável pilotar hoje, realmente ficamos longe de problemas e foi um ótimo começo de ano – não poderia ter sido melhor.

Já para o piloto da Ferrari Charles Leclerc foi o oposto. O monegasco não conseguia esconder sua decepção pós corrida, após ter problemas nos freios dianteiros e os pneus travarem constantemente durante a corrida. Algo totalmente inesperado para a equipe, já que a Ferrari de Leclerc não apontou nenhum problema durante os treinos, mas que infelizmente não fez uma corrida onde pudesse atacar e tentar brigar pelo pódio, terminando assim em quarto lugar. A Ferrari irá investigar o ocorrido com o SF-24 para entender se será necessário fazer alguma correção a tempo da próxima corrida, que acontece já no final de semana seguinte na Arábia Saudita. Leclerc, terminou sua corrida 40 segundos atrás de Max Verstappen e 15 segundos atrás de seu companheiro Carlos Sainz.

“Era impossível conduzir bem.” “Tivemos grandes problemas nos freios, que vamos investigar o ocorrido para que isso não aconteça novamente. Obviamente, isso era um grande problema. Nas primeiras 10 voltas foi impossível. A cada volta que fazia, travava três ou quatro metros mais cedo, mas o problema estava a piorar muito, muito a cada volta, por isso baseava sempre as minhas sensações na volta anterior, mas entretanto o problema era muito mais então eu chegava lá e trancava como um louco de novo, então me senti muito mal e depois estabilizou, mas em um lugar que estava completamente fora da janela adequada.“ Acho que no rádio a equipe me disse que havia uma divisão de mais de 100 graus entre o dianteiro direito e o dianteiro esquerdo, e isso permaneceu durante toda a corrida, então estávamos em uma situação muito, muito ruim, e é assim.”

Leclerc quando questionado sobre o que ele levaria para o fim de semana como um todo, admitiu que estava lutando para ver o lado positivo após o resultado da corrida. “Demos um passo em frente, mas... não sei, tenho dificuldade em ver os aspectos positivos no final do fim de semana, quando é hora de juntar tudo, então temos um problema, por isso estou muito decepcionado com hoje, ”ele afirmou.

Já Sérgio Perez com uma diferença de 22,4 segundos em relação ao seu companheiro de equipe, ocupou o segundo lugar do pódio e acredita que mesmo saindo da quinta colocação para o pódio, a Red Bull ainda tenha melhorias a serem feitas. “Estou muito satisfeito, muito feliz”, disse Perez. “Acho que foi um ótimo resultado para a equipe e [estou] muito satisfeito com isso. Há muito trabalho que temos que fazer para melhorar e esperamos que consigamos contribuir para Jeddah. Estou ciente de que houve algumas coisas que não foram totalmente perfeitas da nossa parte. Eu estava lutando bastante com o equilíbrio, com as reduções de marcha e com a frenagem do motor. Acho que há alguma limpeza a fazer antes de Jeddah, então acho ótimo termos uma distância completa da corrida para analisar.”

O piloto do dia Carlos Sainz, fez uma corrida extremamente competitiva, que mesmo com problemas na embreagem fez ultrapassagens pontuais e ocupou o terceiro lugar. Questionado após sair do carro sobre seu desempenho “agressivo”, Sainz falou positivamente sobre sua corrida, na qual terminou a pouco menos de três segundos de Perez. 

Sainz e Perez usaram compostos diferentes, a Ferrari usando pneus duros enquanto a Red Bull usou pneus macios. Essa escolha fez parte de uma estratégia para explorar os pontos fortes do SF-24, segundo Sainz, que explicou mais detalhadamente: “Tínhamos um plano muito claro usando macios e depois dois duros. Com o disco rígido no nosso carro nos sentimos um pouco mais confortáveis ​​porque superaquece menos, degrada menos. É um pneu um pouco mais complicado com aquecimento e travamento dianteiro, mas assim que o colocarmos em funcionamento em nosso carro você poderá empurrá-lo. Na Red Bull você pode ver diferentes características, diferentes escolhas estratégicas, mas também acho que essa é a beleza da F1 e poderíamos brincar um pouco com estratégia hoje.”

Já a Mercedes que apresentou bons resultados nos treinos livres, durante a corrida em si não conseguiu um bom desempenho. Lewis Hamilton terminou em  sétimo lugar e Roussel que  teve um problema de superaquecimento porque usou um acerto de radiadores muito fechados, causando assim um aquecimento do motor, terminou em quinto lugar. "Erramos no resfriamento do motor." Disse Roussel.

A temperatura da pista ficou em torno de de 25ºC durante grande parte do Grande Prêmio, muito abaixo dos máximos de 35ºC que os pilotos enfrentaram nos treinos – e ainda assim, foi o superaquecimento que provou ser a ruína da Mercedes. Na Arábia Saudita a perspectiva será completamente diferente, pois lá a temperatura é muito mais alta do que no Bahrein e a Mercedes tem apenas alguns dias para entender os erros e corrigir já para o próximo final de semana.

Foto: Site F1