GP DA AUSTRÁLIA TEVE PROTAGONISMO DE BANDEIRAS VERMELHAS

Uma prova que tinha tudo pra ser morna, se tornou bem quente após três bandeiras vermelhas ocasionadas por acidentes, marcaram o Grande Prêmio da Austrália.

4/3/2023

As Mercedes se defendiam bem com a tática do líder George Russell ficando perto de Lewis Hamilton para que ele pudesse abrir o DRS e, com isso, ter qualquer chance de segurar Verstappen. Até que acontece a primeira batida de Alex Albon que trouxe primeiro o Safety Car e depois, pela quantidade de detritos que estavam na pista, a bandeira vermelha. A equipe da Mercedes não tinha como prever o acidente e instantes antes havia chamado Russell aos boxes. O que ocasionou a perda de posição e disputa pela vitória do inglês, já que, com a bandeira vermelha, todos puderam trocar os pneus.

Na segunda relargada, Verstappen conseguiu administrar bem o ritmo acabou colocando ordem na casa. Hamilton se manteve liderando a corrida, mas logo Verstappen com o DRS poderoso da Red Bull, fez a ultrapassagem sem demonstrar grandes dificuldades. Sergio Perez que mesmo tendo sua estratégia atrapalhada pela bandeira vermelha, vinha passando carros que também estavam com o DRS aberto.

Alonso com um ritmo superior, alarmou Hamilton, que comunicou pelo rádio. “Alonso tem muita velocidade. Não acho que este pneu vá durar neste ritmo.” Alonso chegou a menos de 1s no final da volta 16, fazendo uma volta 0,8s mais rápida do que vinha fazendo. “Definitivamente não foi fácil mantê-lo afastado e fora da zona DRS”, disse Hamilton depois.

“Acontece que tínhamos mais pneus do que eu pensava no final. Houve um momento em que pensei que o pneu estava abrindo e Fernando aplicando pressão, depois recuando e diminuindo a diferença novamente. Ele teve duas ou três cargas que eu tive que realmente aumentar a aposta e tentar igualá-lo, o que foi difícil. Consegui ficar a cerca de um décimo dele, ou às vezes à frente.” Complementou o inglês.

Na terceira relargada onde os pilotos já tinham seus carros com pneus frios Verstappen viu sua vitória ser ameaçada quando a direção de prova decidiu por uma bandeira vermelha e mais uma largada parada, faltando apenas quatro voltas para o fim. O que gerou muita reclamação de todos. "Fizemos a largada com pneus frios, o Safety Car deu uma volta super lenta - acho que estávamos a 100, 120km/h, em uma pista em que se sabe que o aquecimento dos pneus é muito ruim. Por isso que, quando todo mundo chegou com pneu frio no ar turbulento de quem estava na frente não conseguia parar o carro. Ninguém estava tentando bater de propósito. Todos estavam com dificuldade", explicou Verstappen.

Em resumo do final de prova: Max largou bem, Hamilton em segundo e uma baita confusão atrás dos dois se iniciava. Com Alonso batendo em Sainz, as duas Alpines se tocando, Perez indo parar na brita, Sargent entrando na traseira de DeVries, tudo isso claro, gerou uma nova bandeira vermelha seguida de uma nova decisão de relargada apenas para ver se os carros chegavam ao fim da linha de chegada e terminaram a corrida.

Foto: Site F1

Foto: Site F1