GRANDE PRÊMIO DO CANADÁ TEM PÓDIO DE PESO COM TRÊS LENDAS DA FÓRMULA 1

Dominando com folga, Max além de empatar ao lendário Ayrton Senna com 41 vitórias, neste domingo ele também bateu o Record da Red Bull de 100% de vitórias na temporada até agora.

6/19/2023

Baita corrida disputada por campeões mundiais de peso, é assim que se descreve o Grande Prêmio do Canadá. Dominando com folga, Max além de empatar ao lendário Ayrton Senna com 41 vitórias, neste domingo ele também bateu o Record da Red Bull de 100% de vitórias na temporada até agora. "Não quero comparar gerações diferentes. O que Ayrton fez foi incrível. O que eu penso é que, quando eu estava no kart, não pensava em vencer tantas corridas. E agora quero que não pare por aqui." Disse Verstappen.

Logo na largada Hamilton passou Alonso e defendeu muito bem a sua posição, mas quando as estratégias se desenrolaram no decorrer da corrida, Alonso deu o troco e fez uma ultrapassagem em cima de Hamilton, ocupando assim o segundo lugar. Embora o piloto da Mercedes tenha feito o possível para diminuir a diferença nos estágios finais, acabou sendo forçado a se contentar com o terceiro.

George Russell perdeu uma potencial luta pelo pódio, depois que colidiu com a barreira na saída da curva 9 o que causou grandes danos a sua Mercedes, sendo necessário o Safety Car a pista, em seu 50º aniversário na Fórmula 1. “Está um pouco torto, mas está tudo bem”, relatou Russell no rádio, depois de um pit lane que o mantiveram na corrida, mas caiu para a décima nona posição e teve que abandonar a corrida pouco tempo depois.

A dupla da Ferrari, Charles Leclerc e Carlos Sainz, terminaram em quarto e quinto lugar, respectivamente, com Sergio Perez fechando os seis primeiros. Alex Albon resistiu ao desafio de Esteban Ocon para terminar em sétimo, com o piloto da Alpine conquistando o oitavo lugar. Perez conquistou um solitário sexto lugar e o ponto de bônus da volta mais rápida, ao fazer o possível para limitar os danos após uma terceira sessão de qualificação comprometida consecutiva.

Já Albon aproveitou ao máximo seu ponto de partida entre os 10 primeiros e ganhou como piloto do dia, o que foi mais do que merecido, já que ele teve que se defender de diversos pilotos nos momentos finais da corrida e proporcionou a Williams o melhor resultado em 2 anos.

Lando Norris perdeu seus pontos após a bandeira quadriculada, tendo recebido uma penalidade de cinco segundos por “conduta antidesportiva” atrás do Safety Car, o homem da McLaren acusado de apoiar o pelotão para abrir caminho para um McLaren 'duplo- pilha' nos poços.

Tudo o que aconteceu no final de semana

Treino livre de sexta com Hamilton fazendo o melhor tempo

Com problemas de transmissão de câmera e sistemas que não se falavam, seguidos de uma bandeira vermelha ocasionada por Pierri Gasly, o primeiro treino livre no Circuito Gilles Villeneuve, precisou ser interrompido. Com essa redução, o sendo treino livre ganhou mais meia hora, totalizando uma hora e trinta de TL2.

Com um clima quente e propenso a chuva, o TL2 encerrou com muita chuva, mas quem se deu muito bem e marcou o tempo mais rápido e ficou em primeiro lugar foi Lewis Hamilton, com 1m13,718s de pneus macios e logo atrás com uma diferença de 0,027 o seu companheiro de equipe George Roussel. Tendo uma dobradinha de Mercedes.

As Ferraris de Carlos Sainz e Charles Leclerc imprensaram o Aston Martin de Fernando Alonso em posições três e cinco. Antes da chuva cair, tiveram duas bandeiras vermelhas que precisaram entrar na pista. Uma delas por Nico Hulkenberg, que teve a traseira do seu carro tomado por fumaça e a outra por Esteban Ocon teve uma perda de pressão de água do seu carro.

Mesmo com condições de chuvas dominando a sessão de quali de sábado em Montreal, Max Verstappen, conquistou a pole position no Grande Prêmio do Canadá, com Nico Hulkenberg surpreendendo a Haas em segundo lugar, que devido a uma violação de bandeira vermelha, perdeu o seu segundo lugar. Com uma penalidade de três posições no grid, subiram de posições Fernando Alonso, Lewis Hamilton e George Russell.

Lewis Hamilton acredita que um pódio está "definitivamente nos planos" no GP do Canadá, enquanto o companheiro de equipe George Russell também está confiante em chegar entre os três primeiros para garantir o que seria uma segunda dobradinha consecutiva para a Mercedes.

Refletindo sobre a classificação, Hamilton disse: "Nada mal. Este é um bom começo para nós, eu acho. [Foram] as condições mais difíceis lá fora, tentando colocar a temperatura nos pneus, [como] obviamente não há muitas curvas de alta velocidade, então é difícil gerar temperatura. "Mas sim... Eu esperava mais, naturalmente, mas vamos levar e a partir daí podemos trabalhar... Espero que possamos avançar a partir daí."

Carlos Sainz perdeu três posições no grid para o Grande Prêmio do Canadá depois de ser considerado culpado pelos comissários por impedir Pierre Gasly nas etapas finais do Q1 na qualificação em Montreal na tarde de sábado. Gasly estava completando sua última volta no Q1 quando as câmeras o mostraram sendo forçado a sair da pista para evitar Sainz na chicane final, o que significa que o piloto da Alpine perdeu o Q2 e deve começar a corrida de domingo em 17º. Sainz, no entanto, chegou ao Q3 e se classificou em oitavo, mas com a queda de três posições no grid ele começará a corrida em 11º. Leclerc e Perez tiveram que se contentar com P11 e P12 no grid, respectivamente, tendo perdido o corte quando as condições estavam mais precárias no Q2, levando a uma mensagem de rádio furiosa do monegasco quando seu destino foi selado.

Sábado com poli de Max Verstappen e quase segundo lugar de Hulkenberg

Perez não conseguiu fazer o Q3 nas últimas três etapas, tendo seguido sua pole position em Miami com um acidente no Q1 em Mônaco que o deixou em 20º, uma saída do Q2 na Espanha que o colocou em 11º e outra eliminação no Q2 em Montreal. Questionado sobre o que pode ser resgatado na corrida, ele acrescentou: "Bem, vai ser difícil ultrapassar, mas vamos tentar de tudo, vamos tentar de tudo para entrar no pelotão". No entanto, após a subida de Pérez de 11º para quarto na última vez em Barcelona, o chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, apoiou seu piloto para fazer muitos progressos ao longo do encontro de 70 voltas de domingo.

A Red Bull vai para a corrida em busca de manter seu recorde de 100% de vitórias até agora nesta temporada, com Verstappen tendo vencido cinco corridas (Bahrein, Austrália, Miami, Mônaco e Espanha) e Perez tendo triunfado duas vezes (Arábia Saudita e Azerbaijão).

Foto: Site F1

Foto: Site F1