MÔNACO E SUA CAPACIDADE DE ENTENDER COMO OS PILOTOS AGEM SOB PRESSÃO

5/29/2023

Mônaco e sua capacidade de embaralhar tudo e colocar as habilidades dos pilotos e equipes a prova

O GP de Mônaco é sempre um teste de habilidade em saber como pilotos e equipes respondem a um momento de pressão. Porque os caras precisam se preocupar com a pista, com o tempo, com o cara da frente, com o cara de trás. De fato é uma caixinha de surpresas e com chuva no caminho, aí que embaralha tudo, e quem sabe lidar bem com toda essa pressão e tem o carro da vez, leva a melhor.

Como é o caso de Max Verstappen, que com vantagens entre 5 e 11 segundos, liderou confortavelmente em cima da rival Aston Martin e ganhou o tão almejado prêmio de Mônaco. Conquistou a sua quarta vitória da temporada e sua 39ª vitória como piloto da Red Bull, levando-o a uma vantagem sobre a contagem de Sebastian Vettel.

Com a vitória vinda em uma pista que não favorecia muito a equipe Red Bull, Max ficou bem feliz com esse seu novo recorde.

“Se você tem um bom carro por um tempo, pode quebrar esses tipos de números”, disse ele. “Mas sim, é ótimo. Quer dizer, eu nunca teria pensado que estaria nesta posição na minha carreira. Quando cresci, queria ser piloto de Fórmula 1 e vencer essas corridas é incrível. É melhor do que eu jamais poderia imaginar, com certeza.” Disse o holandês.

Perez certamente não estava muito controlado, a frieza que o mexicano deveria ter tido nesse GP, não rolou como previsto, o que acarretou em uma porção de erros e uma queda de qualificação. Carlos Sainz que escapou na Mirabeau, deixou tudo ainda mais complicado pra Ferrari. Até chegou a ter uma conversa entre os pilotos e a equipe, sobre os erros do final de semana, mas sem grandes evoluções.

Ocon e Lewis Hamilton fizeram uma baita corrida, Hamilton ganhou como piloto do dia, mas o francês teve pulsos firmes e não cedeu à pressão. Onde sua grande sacada foi evitar as ultrapassagens de Carlos Sainz, que quase acabou com a corrida dos dois em dado momento, ao quebrar a asa dianteira dele na traseira do carro de Ocon. Mas isso não foi um impedimento para o francês subir ao pódio.

Lewis Hamilton e George Russell apareceram nas duas colocações abaixo, seguidos por Charles Leclerc e Pierre Gasly antes de Sainz. Lando Norris foi nono e viu o companheiro de McLaren, Oscar Piastri, chegar em décimo e ganhar um ponto após Yuki Tsunoda errar perto do fim e abrir o espaço. Hamilton ainda somou o ponto extra da melhor volta.

O favorito da casa, Charles Leclerc, cruzou a linha de chegada onde largou em sexto, tendo recebido uma penalidade de três posições no grid por impedir Lando Norris na qualificação, seguido pelo outro Alpine de Pierre Gasly e pelo companheiro de equipe da Ferrari, Carlos Sainz, que perdeu com um giro. no molhado.

Norris e Oscar Piastri que chegaram em nono e décimo, conseguiram dar uma pontuação a MacLaren. Já a AlphaTauri, caiu para décimo quinto por conta de um travamento e reclamações de freio por Tsunoda.

Já Valterri Bottas terminou em décimo primeiro e o chinês Guanyu Zhou em décimo terceiro. Nyck de Vries, seguido por Alex Albon da Williams, Tsunoda e Perez, que não conseguiram passar da décima sexta colocação após a queda na quali.

Hulkenberg teve uma corrida ardua, após ter que pagar uma penalização de cinco segundos por atingir Logan Sargeant na volta 1, que por não ser cumprida corretamente resultou em um adicional de 10 segundos.

Kevin Magnussen abandonandonou a corrida após uma colisão com as barreiras, seguido por Lance Stroll da Aston Martin o outro para DNF após uma série de incidentes .

Mas todo o protagonismo mesmo, foi por conta da chuva, que por 15 voltas, colocou fogo na corrida. Lance Stroll bateu mais de uma vez e Sergio Pérez fez o mesmo em Russell, que foi punido com a perda de 5s que, no fim das contas, não teve impacto no resultado. Kevin Magnussen e Logan Sargeant foram outros que se enrolaram na pista molhada e até o bi campeão mundial Max Verstappen, deu uma “bitoca” no muro em dado momento.

Foto: Site F1

Foto: Site F1